Eventos

Bye Bye Summer Wine party

08:00:00

Provavelmente a melhor forma de dizer adeus ao Verão de 2017!
Os jardins Marriott Hotel voltam a encher-se de produtores de vinho, assim como apaixonados (Nós), no próximo dia 8 de Setembro entre as 17h e as 23h!


No mês em que as vindimas começam, nada melhor que aumentar o conhecimento com alguns dos melhores produtores a nível nacional.
Serão mais de 300 referências para provar e apreciar, incluindo provas especiais (limitadas a 20 participantes). Guiadas por profissionais credenciados e reconhecidos na área:

  • Às 17.30H realiza-se a prova "Douro by Sandra Tavares da Silva"
  •  19:00H a prova especial com o produtor revelação do Alentejo "Herdade do Freixo: Elogio à natureza"
  •   21:00H o melhor da natureza com "The Best of Lua Cheia em Vinhas Velhas"
Os bilhetes estarão a venda on-line na ticketline e lugares habituais (como Fnac, Worten, El Corte Inglês e Agência Abreu, entre outros). 
Até dia 7 de Setembro para além da oferta do copo que dá acesso à prova de todos os vinhos, a compra do bilhete “Bye Bye Summer Wine Party”garantem, também, a oferta de um saboroso petisco com a assinatura do Chef António Alexandre.

Não faltará porco no espeto, tábuas de queijos & enchidos e surpresas gastronómicas no Paradiso - tiki & co, [Bar da piscina].




Apreciações de um Nabo

SUD Terrazza

07:43:00

SUD, o mais recente projeto do grupo SANA e provavelmente o Restaurante/Piscina/Esplanada, mais falados em Lisboa nos últimos tempos.


Quem se dá ao luxo de ter uma piscina no primeiro andar, com uma carta de cocktails e vinhos invejável e uma apresentação de espaço que conjuga na perfeição o estilo moderno com um ambiente fresco à beira rio!?

Em três palavras:
Moderno, amplo e envolvente!

A cozinha de raízes e tradições italianas, aliadas a matéria prima com identidade comprovada e um chef como Marco Legittimo só podia resultar numa experiência 5 estrelas.


Com intenções de provar, literalmente, o melhor que a casa nos podia dar, iniciámos a nossa experiência com uma burrata, com manjericão, tomate cherry e pesto. Surpreendente não só pela frescura dos alimentos, mas também pela burrata, que até à data ainda não tinha provado tal qualidade. 
A completar este prato, um pequeno mimo do chef: em que do pesto brotam alguns pinhões, inteiros, tostados, dando relevância ao fruto seco. 


Assim que mandamos vir o carpaccio, continuamos a ler a carta tentando adivinhar a apresentação, a composição e até a quantidade das fatias de lombo.
Assim que chega à mesa, este apresenta-se de forma surpreendente, como um carpaccio de uma só peça (lombo de novilho fresco), com um empratamento cuidado (gosto do rabanete como acessório). Uma ou duas lascas de parmesão DOP, dando um toque  final seco e completado com umas fantásticas alcaparras pantelleria.

Para prato principal:

[Anti-pasti] - Tagliata di manzo rucola e grana
[Pasta] - Tagliolino com frutos do mar


Deixem-me traduzir (tagliata di manzo rucola e grana): Naco de carne Black Angus, cozinhada na perfeição, coberto de rúcula, tomate cherry e parmesão DOP (ligando todos os sabores com creme balsâmico). 
À primeira impressão senti a necessidade de um acompanhamento, mas assim que dou a primeira garfada, essa ideia rapidamente desvanece, tornando-se uma jornada de um só sentido, sem olhar para trás, muito menos de pensar num acompanhamento qualquer.


A Pasta, tagliolino, é para mim uma massa ainda com muitos segredos por desvendar. As inúmeras tentativas de a cozinhar em casa, têm saído falhadas e talvez por isso, a necessidade de provar um bom exemplar, é uma constante.
Com uma apresentação gourmet, a massa num ponto de cozedura al dente, acompanhada com um lagostim cozinhado na perfeição, de cor rosada e carne tenra. Finalizado com um pesto um pouco mais triturado que o normal, envolvendo-se de forma fácil com a massa.

Para finalizar, nada melhor que um café e um moscatel à beira da piscina com vista pelo rio Tejo.


SUD Lisboa Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

À Mão

Cafetaria Village Underground

16:14:00

Acredito que todos tenhamos a mesma ideia, relativamente a uma refeição num autocarro.
Sandes envolvida em prata, na maioria das vezes fiambre, queijo ou mesmo presunto (para não termos o azar de escorrer um pouco de ovo ou mesmo molho de maionese para as calças e passarmos o resto da viagem a limpa-las), com um sumo de pacote ou garrafa de água, para ajudar a digerir. Tudo isto num espaço em que só cabemos nós e tendo como suporte uma mesa que a maioria das vezes só serve para vista, porque caso a utilizemos o mais certo é ficarmos sem refeição.


A Cafetaria Village Underground é um restaurante / snack-bar dentro de um autocarro! (literalmente)
Mas de longe a ideia que nós temos. 
Aqui os bancos são confortáveis, espaçosos e com mesas de 2, 4 ou 6 pessoas. Com mesas em madeira, espaçosas, estáveis e um fantástico ambiente, antiquado, de autocarro dos anos 80.
Entre tostas, wraps e saladas, têm também pratos do dia (no inverno servem Cozido à Portuguesa). 
Para beber, os sumos naturais são a bebida a ter em conta (Pura fruta, alguma polpa e muito sabor em doses generosas).
Ficámos por uns snacks, esperando pelo inverno para testar o próprio cozido.
As tostas pedidas foram a Alcântara (Frango grelhado e Bacon, que combinação!) e a Carris (presunto com queijo brie).


Qualquer uma das duas estava boa, sem nenhum aspeto diferenciador e sem nenhuma surpresa à qual não esperássemos. Quem deslumbrou mesmo foi o sumo do dia em que a base era Ananás com hortelã e kiwi.
O que ganha aqui é realmente a experiência, a envolvência do local e a surpresa de um espaço tão IN. 
Para além da Cafetaria existem mais uns quantos contentores que podem visitar, todos eles com exposições e salas de trabalho ("com criatividade").




Cafetaria Village Underground Lisboa Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Vinhos

White Wine Party Setúbal

08:53:00


Que Luxo!
Mais um evento de sucesso: Mais de 700 pessoas subiram ao rooftop do Hotel do Sado para passar uma tarde e noite em grande.

Considerada das maiores festas vinicas realizadas em Setúbal e certamente a maior organizada pela revista Paixão Pelo Vinho.
A cultura e interesse, por parte dos portugueses, relativamente ao vinho, está a crescer a olhos vistos. 
Nesta fase em que Portugal esta a selar cada vez mais o seu nome nesta área, a nível Mundial, é importante olharmos para dentro e reconhecer o nosso potencial.



Entre outras estiveram presentes:

Wine With Spirit (Vinho Verde e outras regiões); 
Costa Boal Family Estates (Douro e Trás-os-Montes);
Quinta de Lemos (Dão); 
Vinícola Castelar (Bairrada); 
Cabeça de Toiro - Enoport (Tejo);
Quinta do Gradil (Lisboa); 
Casa Ermelinda Freitas (Península de Setúbal); 
Adega Fernão Pó (Península de Setúbal);   



Vinhos

Quinta do Avelar Arinto 2014 Branco

07:04:00

A Quinta do Avelar é um dos mais antigos produtores de vinho de Lisboa.
Com uma idade media superior a 80 anos, as suas vinhas possuem a maturidade para criar grandes vinhos das castas mais antigas da região de Lisboa.



Quinta do Avelar Arinto 2014 Branco



  • Apreciação do Nabo:
  • Vinho de cor clara com tons amarelados, de uma só casta (Arinto). Este tem uma acidez bastante correta e maravilhosas notas cítricas (limão principalmente).
    Marca a diferença essencialmente pelo tempo extra de estágio em garrafa que permite que o vinho esteja num estado de equilíbrio superior, dando-lhe um titulo de vinho moderno.
    Ideal a acompanhar com peixe grelhado e salada de frango.

Apreciações de um Nabo

Os scones da gulbenkian

11:29:00

É na Gulbenkian que fica: a cafetaria com maior potencial de descontração; a esplanada mais tranquila; e as patas mais descaradas, que constantemente nos bicam os pés enquanto tomamos o pequeno-almoço.
O próprio Miguel Castro e Silva, ficou de tal forma inebriado por este ambiente que criou umas replicas de pastel de nata, salgado (de autor) exclusivamente para a casa.
Sim, é na Cafetaria da Gulbenkian que podem provar os pasteis da autoria do chef: 

de bacalhau;
de pescada com espinafres; 
de frango e cogumelos; 
de frango e alho-francês; 
de legumes. 

Ainda assim, não foi desta que a cafetaria tomou o animo e se esforçou mais na gastronomia. 
Os pratos continuam a ser muito vulgares e os sabores sem qualquer fusão com o espaço envolvente. 
A dependência do Jardim para esta cafetaria é notória, sem este, o único púbico seriam mesmo os pombos citadinos.
Mas ainda assim, há algo naquela pequena esplanada, pelas 10 da manhã que me faz juntar o ambiente ao paladar e por momentos esquecer tudo o resto.
O scones quentes; Acabados de sair do forno! 




_Bom dia, o que vai querer tomar?
_Um scone e um chá preto, pff.
_O scone, é com doce e manteiga?
_Apenas manteiga.

Assim que abro ao meio aquele massudo rochedo feito de massa, uma nuvem de calor, meio envergonhada, acaba por sair e toma por completo a fragrância do local como sua. 
Apesar da superfície mais estaladiça e o interior com um ponto meio mal cozido, o sabor não varia. 
A variedade infinita de cereais sente-se bem e a manteiga salgada da-lhe um toque final fantástico.
Pedaço a pedaço o scone vai desaparecendo, mas graças ao tamanho o prazer prolonga-se e a refeição matinal torna-se um pouco maior que o habitual.

Cafetaria do Museu Gulbenkian Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato